Instabilidade política no Egito.

egito

Desde o Golpe Militar, que ocorreu no início desse mês, o Egito passa por instabilidade e turbulências no campo político. No dia 3 de julho de 2013, os militares apresentaram um comunicado declarando o fim da presidência de Mohammed Mursi, suspendendo a Constituição, elegendo Adly Mansour,  Presidente do Supremo Tribunal da Corte Constitucional, o novo chefe de governo e fechando emissoras de TV.

Mohammed Mursi chegou ao poder através de eleições diretas, sendo o primeiro presidente democraticamente eleito logo após a queda do ditador Hosni Mubarak, devido à chamada Primavera Árabe.  Porém, desde novembro de 2012, suas medidas têm sido marcadas por grande insatisfação popular. A população egípcia e os militares asseguram a incapacidade de Mursi para restaurar a economia e a segurança do país, e o acusam de tomar medidas autoritárias.

No dia 30 de junho de 2013, passado um ano do mandato de Mursi, milhares de manifestantes em diversas cidades saíram às ruas para pedir a renúncia de Mursi. No entanto, o presidente apoiado na legitimidade do seu governo, recusou-se a deixar o poder. Os militares, no dia 1º de julho, deram um ultimato em Mursi, advertindo que se ele não atendesse as reivindicações populares em dois dias, eles iriam intervir. Cumprindo o prazo estipulado, no dia 3º de julho, os militares tiraram Mohammed Mursi do poder.

Atualmente, Mursi e os principais líderes políticos da Irmandade Muçulmana estão proibidos de deixar o país, situação que já foi criticada pela União Européia nessa segunda-feira. Os militares recusam-se a classificar a deposição de Mursi como um Golpe Militar e sim uma ação decorrente de uma Revolta Popular.

O presidente interino do Egito, Adly Mansour, criou no sábado uma comissão de juristas para criar emendas que devem ser inseridas na Constituição do país aprovada por Mursi e que até o momento está suspensa. Essas emendas serão votadas pela população através de um referendo e espera-se que as eleições parlamentares sejam realizadas em seis meses. O governo também anunciou que pretende “reconsiderar” as relações diplomáticas com a Síria que foi rompida durante o governo de Mursi. Desde a deposição do presidente, mais de 100 egípcios morreram em protestos, sendo a maioria pró-Mursi.

Anúncios
Publicado em Geral | Deixe um comentário

Dia da Liberdade de Imprensa

Liberdade_de_expressão j2tempo
Como blogueira  e futura jornalista (assim espero),  eu não podia deixar essa data tão importante passar em branco. Hoje é o 20º aniversário do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa,  data que foi estabelecido em 1993 pela Assembleia Geral das Nações Unidas e que tem como objetivo apoiar o direito fundamental da liberdade de expressão.

“Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.” – Voltaire

“Não há democracia, não há liberdade se não houver liberdade de se exprimir o que pensa ou o que se acredita,”  Eduardo Campos, futuro candidato a presidência  do Brasil.

Segue abaixo um infográfico da Organização das Nações Unidas que fala um pouco sobre essa data e a ameaça aos jornalistas.  Para mais informações sobre esse tema, recomendo a visita ao blog da ONU Segurança de Jornalistas.

Publicado em Geral | Marcado com , , , | Deixe um comentário

É aprovada lei que garante mais direitos aos empregados domésticos.

empregada

Essa semana foi aprovada por unanimidade no Senado, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 478/10,  que amplia os direitos dos empregados domésticos e o iguala aos demais trabalhadores. Atualmente no Brasil, apenas 15% dos trabalhadores domésticos tem carteira assinada, o que dificulta o acesso aos direitos desses trabalhadores.

A PEC vai tornar-se aplicável a partir da próxima terça-feira, através de uma cerimônia oficial no Senado. A nova lei vai beneficiar toda a categoria de empregados domésticos, incluindo motoristas, babás, jardineiros, caseiros, cuidadores de idosos, cozinheiras e as empregadas domésticas.

A categoria de diaristas que trabalham duas vezes por semana, não está incluída na nova lei e, portanto, segue sem direitos trabalhistas.

Mudanças na Constituição:

– Jornada de 44 horas semanais;

– 8 horas de trabalho por dia durante a semana;

– 4 horas de trabalho por dia aos sábados;

– Horário de almoço ou descanso obrigatório;

– Hora extra de 50% no mínimo.

Precisa de regulamentação:

– Salário- família;

– Auxílio-creche;

– Multa por demissão em justa causa;

– Seguro-desemprego;

– FGTS (atualmente é opcional);

– Adicional noturno.

Publicado em Brasil | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Campanha: Homem de verdade não bate em mulher.

Maria da Penha participa da Campanha de combate a violência doméstica.

Maria da Penha participa da Campanha de combate a violência doméstica.

No mês  de março, conhecido como o mês da  mulher, circulou pela internet uma campanha brasileira contra a violência doméstica muito interessante e importante chamada – Homem de verdade não bate em mulher. Essa campanha contou com a participação de diversos artistas brasileiros e com a ilustre participação de Maria da Penha, líder do movimento de defesa aos direitos da mulher e que deu o nome para a lei contra a violência doméstica.

A campanha foi lançada pelo Banco Mundial e traz dados alarmantes, por exemplo, uma em cada cinco brasileiras afirma já ter sido vítima de agressão dentro de casa. Além disso, ela  traz uma mensagem bem direita “Homem de verdade não bate em mulher”.

Lei Maria da Penha: É a lei número 11.340, que foi sancionada pelo ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva em 7 de agosto de 2006 e aumenta o rigor das punições das agressões contra a mulher quando ocorridas no âmbito doméstico ou familiar.

Publicado em Brasil | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Iraque: Dez anos após a invasão dos E.U.A no país.

invasão do iraque

No dia 20 de março de 2003, os Estados Unidos deu inicio a ocupação do território iraquiano, com o bombardeio aéreo sobre Bagdá, capital do país.  No dia 9 de abril Bagdá caiu e dia 1 de maio o governo norte-americano declarou o fim das operações militares,  depondo do poder o presidente do Iraque Saddam Hussein.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush foi quem tomou a decisão de invadir o Iraque, sem a permissão do Conselho de Segurança da ONU, mas com a aliança de diversos chefes de Estados, por exemplo, do Reino Unido e da Itália.

As tropas derrubam então a estátua de Saddam Hussein, na praça Farduss.

As tropas derrubam então a estátua de Saddam Hussein, na praça Farduss.

A ocupação do Iraque está intimamente ligada com aos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, pois as justificativas para a invasão foram: apoio do governo a grupos terroristas (improvável e nunca foi confirmado), posse de armas de destruição de massas (que nunca foram encontradas) e promoção da democracia e da paz mundial.

“Meus companheiros cidadãos, os perigos sobre nosso país e o mundo serão superados. Nós transpassaremos esse momento de risco e continuaremos com o trabalho pela paz. Nós defenderemos nossa liberdade. Nós traremos liberdade para os outros. E nós venceremos.” – Trecho do discurso de Bush sobre o inicio da Guerra no Iraque.

 Protesto  contra a visita da secretária de Estado dos EUA ao Iraque.

Protesto contra a visita da secretária de Estado dos EUA ao Iraque.

Depois de sete anos de guerra, cerca de 190 mil mortos, sendo 134 mil civis iraquianos, e uma guerra civil ente sunitas e xiitas, o Iraque vive um momento de transição política, na qual mais de metade da população depende de ajudas assistênciais do governo para sobreviver.

Atualmente, mais da metade dos americanos e os próprios soldados que lutaram durante a guerra, afirmam ter sido um erro invadir o Iraque,  o que custou R$ 3,3 trilhões (1,7 trilhão de dólares) aos cofres norte-americanos.

“Disseram-nos que lutaríamos contra terroristas. Mas o verdadeiro terrorista era eu e o verdadeiro terrorismo é essa ocupação.” Trecho do discurso de um veterano da ocupação do Iraque.

Histórico da Invasão do Iraque:

2003- Invasão do Iraque, captura de Saddam Hussein e nomeação de um Conselho de Governo  pelos Estados Unidos.

2004- Começa o julgamento de Saddam Hussein e governo norte-americano transfere a soberania do Iraque a um governo interino.

2005- Aumento da violência no país, realização das primeiras eleições gerais, além de entrar em vigor uma nova Constituição.

2006- Parlamento aprova um novo governo, líder da Al-Qaeda é morto e Saddam Hussein é executado.

2007- Os Estados Unidos mandam reforço militar ao Iraque, em razão do aumento da violência.

2008- O parlamento iraquiano aprova um tratado em que as tropas americanas devem sair do país até 2011.

2009- O Iraque assume a responsabilidade pela Zona Verde e o novo (e atual) presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anuncia a retirada gradual das tropas norte-americanas no Iraque.

2010- Última brigada norte-americana deixa o Iraque e o governo se divide entre facções.

2011- A violência continua crescendo no país e os Estados Unidos retiram suas tropas.

2012- Conferência da Liga Árabe em Bagdá e Fim da Guerra.

Publicado em Geral | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Vaticano surpreende e elege um Papa argentino.

Fumaça branca, indica que novo Papa foi escolhido.

Fumaça branca, indica que novo Papa foi escolhido.

Após dois dias de conclave e cinco votações, por fim, os cardeais católicos escolheram um novo papa. E o escolhido para ser o novo pontífice é o argentino Jorge Mario Bergoglio, arcebispo de Buenos Aires, que se chamará Francisco I. Tornando – se o primeiro Papa latino-americano da história.

A eleição de um novo pontífice ocorre após a inesperada renúncia de Bento XVI, agora Papa emérito, que chefiou a Igreja por oito anos.  O sucessor de Bento XVI terá muitos desafios pela frente, como os escândalos financeiros (Vatileaks), escândalos sexuais e a perda de fiéis.

 A eleição para o novo líder da Igreja Católica e chefe de Estado do Vaticano, é realizada por  155 cardeais, que ficam enclausurados dentro da Capela Sistina.  Para ser escolhido o novo Papa, é  necessário 77 votos ou mais, ou seja, 2/3 dos votos.

Publicado em Geral | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Ilhas Malvinas aprovam em referendo domínio britânico.

malvinas

As Ilhas Malvinas ou Falklands são um território britânico ultramarino, localizada no Atlântico Sul, cuja capital é Stanley. Ela é constituída por duas ilhas principais: Grande Malvina ou Falkland Ocidental e Soledad ou Falkland Oriental, e possui cerca de 2 mil habitantes.

A soberania do arquipélago já foi motivo de conflitos entre o Reino Unido e a Argentina, que em 1982, resultou na Guerra das Malvinas. O conflito durou apenas 3 meses e terminou com a rendição dos militares argentinos.

Trinta anos depois desse conflito, 2012, o domínio das Ilhas voltou a ser disputado pelo governo argentino, que caracteriza a soberania britânica no arquipélago como “colonial”. Cristina Kirchner, presidente da Argentina, acusa o governo britânico de militarizar a região e abordou a questão na Organização das Nações Unidas (ONU).

referendo

Por conseguinte, em uma iniciativa dos moradores do arquipélago, foi realizado no dia 10 e 11 desse mês um referendo para que os 1.672 eleitores das ilhas decidam se querem ou não continuar a ser um território sob administração britânica.

Como resultado, os habitantes das Ilhas Malvinas aprovaram por maioria absoluta, (quase 99%) a permanência do território sob o domínio do Reino Unido no referendo. Contudo, o governo argentino ainda continuara a defender seu direito a soberania das Ilhas Malvinas, pois considera a consulta aos moradores irrelevante para a disputa.

Publicado em Geral | Marcado com , , , , | Deixe um comentário